librelist archives

« back to archive

Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Gabriel Oliveira
Date:
2011-03-11 @ 11:08
Caros,

(perdoem a falta de acentos e cedilha...)

tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo", então
decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.

No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda macica
para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo isso e
ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
iniciais da trilha de Programacao.

Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um grupo
(no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional, por
exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa coesao, eu
abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ? Vale a
pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?

Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao naturalmente
mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo sendo
desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa barreira do
pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.

Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de paciencia e
bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de "se
virol", esse problema e diminuido.

Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!

-- 

*Gabriel P.A. de Oliveira*
*Linkedin* - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
*Skype* - gabriel.pa.oliveira
*Computer Science - UFRGS - Brazil
*

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Lucas Zawacki
Date:
2011-03-11 @ 14:19
Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
ficando com preguiça :P

Anyway, só meus 2 centavos

Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
<gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
> Caros,
> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>
> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo", então
> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda macica
> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo isso e
> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
> iniciais da trilha de Programacao.
> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um grupo
> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional, por
> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa coesao, eu
> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ? Vale a
> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao naturalmente
> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo sendo
> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa barreira do
> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de paciencia e
> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de "se
> virol", esse problema e diminuido.
> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
> --
>
> Gabriel P.A. de Oliveira
> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
> Skype - gabriel.pa.oliveira
> Computer Science - UFRGS - Brazil
>
>
>
>



-- 
http://www.twitter.com/lfzawacki
http://www.linesocode.wordpress.com

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Lucas Zawacki
Date:
2011-03-11 @ 14:20
tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos

Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com> escreveu:
> Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
> de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
> nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
> bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
> coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
> fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
> ficando com preguiça :P
>
> Anyway, só meus 2 centavos
>
> Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
> <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>> Caros,
>> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>>
>> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo", então
>> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda macica
>> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo isso e
>> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
>> iniciais da trilha de Programacao.
>> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um grupo
>> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional, por
>> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa coesao, eu
>> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ? Vale a
>> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao naturalmente
>> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo sendo
>> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
>> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa barreira do
>> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de paciencia e
>> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de "se
>> virol", esse problema e diminuido.
>> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>> --
>>
>> Gabriel P.A. de Oliveira
>> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>> Skype - gabriel.pa.oliveira
>> Computer Science - UFRGS - Brazil
>>
>>
>>
>>
>
>
>
> --
> http://www.twitter.com/lfzawacki
> http://www.linesocode.wordpress.com
>



-- 
http://www.twitter.com/lfzawacki
http://www.linesocode.wordpress.com

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Cristiano Dalbem
Date:
2011-03-15 @ 14:54
Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer fazer,
outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi gente
dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma pessoa
que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa não
vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, querer
explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria alguma, é
foda!
Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
programar.

Diga NÃO aos bixos! hehe

Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
"avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor Wives).


2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>

> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>
> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
> escreveu:
> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
> > ficando com preguiça :P
> >
> > Anyway, só meus 2 centavos
> >
> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
> >> Caros,
> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
> >>
> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo",
> então
> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
> macica
> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo
> isso e
> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
> >> iniciais da trilha de Programacao.
> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um
> grupo
> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional,
> por
> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa coesao,
> eu
> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ? Vale
> a
> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
> naturalmente
> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo sendo
> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
> barreira do
> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
> paciencia e
> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de
> "se
> >> virol", esse problema e diminuido.
> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
> >> --
> >>
> >> Gabriel P.A. de Oliveira
> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
> >>
> >>
> >>
> >>
> >
> >
> >
> > --
> > http://www.twitter.com/lfzawacki
> > http://www.linesocode.wordpress.com
> >
>
>
>
> --
> http://www.twitter.com/lfzawacki
> http://www.linesocode.wordpress.com
>



-- 
Cristiano Medeiros Dalbem
Ciência da Computação UFRGS 2008/01
Bolsista do PET Computação desde 2009/01
http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Gabriel Oliveira
Date:
2011-03-15 @ 17:06
Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma discussão,
que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as minhas sobre o
assunto:

*Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando da
mesma esperiência que vocês.*
*
*
*Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está indicando
problemas de foco.*
*
*
*Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são sintomas
de que o problema está ganhando importância que deveria ser do *processo de
desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E até que o grupo
tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, usar problemas
reais não é recomendado.*
*
*
*Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo os
calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou
reunião.*
*
*
*Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias. Mas
separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso criando o
Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com dinâmicas e
propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é importante para não
propagar uma percepção equivocada do Dojo.*
*
*
*Abraços,
*
*--*
*Henrique Bastos* <http://henriquebastos.net/>
*
*
*
Curso Welcome to the Django <http://welcometothedjango.com.br/>
Aprenda Python e Django na Prática!
*
*
*
*Twitter: @henriquebastos <http://twitter.com/henriquebastos>
Skype: henriquebastos.net
*
*+55 21 9618-6180*

Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>escreveu:

> Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer fazer,
> outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi gente
> dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma pessoa
> que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa não
> vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, querer
> explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria alguma, é
> foda!
> Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
> programar.
>
> Diga NÃO aos bixos! hehe
>
> Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
> "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor Wives).
>
>
>
> 2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>
>> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>>
>> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>> escreveu:
>> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
>> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
>> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
>> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
>> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
>> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
>> > ficando com preguiça :P
>> >
>> > Anyway, só meus 2 centavos
>> >
>> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
>> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>> >> Caros,
>> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>> >>
>> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo",
>> então
>> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
>> macica
>> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo
>> isso e
>> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
>> >> iniciais da trilha de Programacao.
>> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um
>> grupo
>> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional,
>> por
>> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa coesao,
>> eu
>> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ?
>> Vale a
>> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
>> naturalmente
>> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo
>> sendo
>> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
>> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
>> barreira do
>> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
>> paciencia e
>> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de
>> "se
>> >> virol", esse problema e diminuido.
>> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>> >> --
>> >>
>> >> Gabriel P.A. de Oliveira
>> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
>> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
>> >>
>> >>
>> >>
>> >>
>> >
>> >
>> >
>> > --
>> > http://www.twitter.com/lfzawacki
>> > http://www.linesocode.wordpress.com
>> >
>>
>>
>>
>> --
>> http://www.twitter.com/lfzawacki
>> http://www.linesocode.wordpress.com
>>
>
>
>
> --
> Cristiano Medeiros Dalbem
> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>
>
>
>

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Cristiano Dalbem
Date:
2011-03-15 @ 18:21
Não achei muito relevante a resposta dele pra nossa discussão.
Pra mim não existe problema nenhum nos nossos Dojos, eles estavam indo muito
bem.
E sobre a inclusão dos calouros ele não deu nenhum argumento explicando
porque isso seria importante...

2011/3/15 Gabriel Oliveira <gabriel.pa.oliveira@gmail.com>

> Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma
> discussão, que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as
> minhas sobre o assunto:
>
> *Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando da
> mesma esperiência que vocês.*
> *
> *
> *Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está indicando
> problemas de foco.*
> *
> *
> *Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são
> sintomas de que o problema está ganhando importância que deveria ser do
> *processo de desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E até
> que o grupo tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, usar
> problemas reais não é recomendado.*
> *
> *
> *Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo os
> calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou
> reunião.*
> *
> *
> *Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias.
> Mas separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso
> criando o Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com
> dinâmicas e propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é
> importante para não propagar uma percepção equivocada do Dojo.*
> *
> *
> *Abraços,
> *
> *--*
> *Henrique Bastos* <http://henriquebastos.net/>
> *
> *
> *
> Curso Welcome to the Django <http://welcometothedjango.com.br/>
> Aprenda Python e Django na Prática!
> *
> *
> *
> *Twitter: @henriquebastos <http://twitter.com/henriquebastos>
> Skype: henriquebastos.net
> *
> *+55 21 9618-6180*
>
> Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>escreveu:
>
> Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer fazer,
>> outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi gente
>> dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma pessoa
>> que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa não
>> vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, querer
>> explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria alguma, é
>> foda!
>> Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
>> programar.
>>
>> Diga NÃO aos bixos! hehe
>>
>> Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
>> "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor Wives).
>>
>>
>>
>> 2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>
>>> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>>>
>>> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>> escreveu:
>>> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
>>> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
>>> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
>>> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
>>> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
>>> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
>>> > ficando com preguiça :P
>>> >
>>> > Anyway, só meus 2 centavos
>>> >
>>> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
>>> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>>> >> Caros,
>>> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>>> >>
>>> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo",
>>> então
>>> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>>> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
>>> macica
>>> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo
>>> isso e
>>> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
>>> >> iniciais da trilha de Programacao.
>>> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por um
>>> grupo
>>> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo tradicional,
>>> por
>>> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa
>>> coesao, eu
>>> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ?
>>> Vale a
>>> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>>> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
>>> naturalmente
>>> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo
>>> sendo
>>> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que
>>> acaba
>>> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
>>> barreira do
>>> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>>> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>>> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
>>> paciencia e
>>> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau de
>>> "se
>>> >> virol", esse problema e diminuido.
>>> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>>> >> --
>>> >>
>>> >> Gabriel P.A. de Oliveira
>>> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>>> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
>>> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
>>> >>
>>> >>
>>> >>
>>> >>
>>> >
>>> >
>>> >
>>> > --
>>> > http://www.twitter.com/lfzawacki
>>> > http://www.linesocode.wordpress.com
>>> >
>>>
>>>
>>>
>>> --
>>> http://www.twitter.com/lfzawacki
>>> http://www.linesocode.wordpress.com
>>>
>>
>>
>>
>> --
>> Cristiano Medeiros Dalbem
>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>
>>
>>
>>
>


-- 
Cristiano Medeiros Dalbem
Ciência da Computação UFRGS 2008/01
Bolsista do PET Computação desde 2009/01
http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Gabriel Oliveira
Date:
2011-03-16 @ 11:55
(alguém sabe o porquê motivo de quando o dojoufrgs@librelist é o segundo
contato da lista ele não receber o reply ??)

Achei importante a resposta dele pois ele justifica o problema que o Dalbem
levantou como sendo causado pelo pensamento de "terminar o problema".

Bixos irão naturalmente desacelerar o problema, fazer com que não
expliquemos o código, mas o algoritmo por trás, nos fazendo "perder tempo".
Isso só é relevante se o foco do Dojo for terminar o problema, e esse foco *não
deveria* ser de Coding Dojo algum....

Ainda, destaco a idéia dele de fazer outras iniciativas que complementem o
Dojo, enquanto o Dojo em si fica sendo uma atividade irrestrita.

-- 

*Gabriel P.A. de Oliveira*
*Linkedin* - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
*Skype* - gabriel.pa.oliveira
*Computer Science - UFRGS - Brazil*

Em 15 de março de 2011 15:21, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>escreveu:

> Não achei muito relevante a resposta dele pra nossa discussão.
> Pra mim não existe problema nenhum nos nossos Dojos, eles estavam indo
> muito bem.
> E sobre a inclusão dos calouros ele não deu nenhum argumento explicando
> porque isso seria importante...
>
>
> 2011/3/15 Gabriel Oliveira <gabriel.pa.oliveira@gmail.com>
>
>> Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma
>> discussão, que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as
>> minhas sobre o assunto:
>>
>> *Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando
>> da mesma esperiência que vocês.*
>> *
>> *
>> *Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está indicando
>> problemas de foco.*
>> *
>> *
>> *Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são
>> sintomas de que o problema está ganhando importância que deveria ser do
>> *processo de desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E até
>> que o grupo tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, usar
>> problemas reais não é recomendado.*
>> *
>> *
>> *Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo
>> os calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou
>> reunião.*
>> *
>> *
>> *Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias.
>> Mas separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso
>> criando o Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com
>> dinâmicas e propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é
>> importante para não propagar uma percepção equivocada do Dojo.*
>> *
>> *
>> *Abraços,
>> *
>> *--*
>> *Henrique Bastos* <http://henriquebastos.net/>
>> *
>> *
>> *
>> Curso Welcome to the Django <http://welcometothedjango.com.br/>
>> Aprenda Python e Django na Prática!
>> *
>> *
>> *
>> *Twitter: @henriquebastos <http://twitter.com/henriquebastos>
>> Skype: henriquebastos.net
>> *
>> *+55 21 9618-6180*
>>
>> Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>escreveu:
>>
>> Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer fazer,
>>> outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi gente
>>> dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma pessoa
>>> que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa não
>>> vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, querer
>>> explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria alguma, é
>>> foda!
>>> Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
>>> programar.
>>>
>>> Diga NÃO aos bixos! hehe
>>>
>>> Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
>>> "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor Wives).
>>>
>>>
>>>
>>> 2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>
>>>> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>>>>
>>>> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>> escreveu:
>>>> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
>>>> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
>>>> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
>>>> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
>>>> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
>>>> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
>>>> > ficando com preguiça :P
>>>> >
>>>> > Anyway, só meus 2 centavos
>>>> >
>>>> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
>>>> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>>>> >> Caros,
>>>> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>>>> >>
>>>> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no Dojo",
>>>> então
>>>> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>>>> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
>>>> macica
>>>> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo
>>>> isso e
>>>> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras
>>>> cadeiras
>>>> >> iniciais da trilha de Programacao.
>>>> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por
>>>> um grupo
>>>> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo
>>>> tradicional, por
>>>> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa
>>>> coesao, eu
>>>> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ?
>>>> Vale a
>>>> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>>>> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
>>>> naturalmente
>>>> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo
>>>> sendo
>>>> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que
>>>> acaba
>>>> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
>>>> barreira do
>>>> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>>>> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>>>> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
>>>> paciencia e
>>>> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau
>>>> de "se
>>>> >> virol", esse problema e diminuido.
>>>> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>>>> >> --
>>>> >>
>>>> >> Gabriel P.A. de Oliveira
>>>> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>>>> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
>>>> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
>>>> >>
>>>> >>
>>>> >>
>>>> >>
>>>> >
>>>> >
>>>> >
>>>> > --
>>>> > http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>> > http://www.linesocode.wordpress.com
>>>> >
>>>>
>>>>
>>>>
>>>> --
>>>> http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>> http://www.linesocode.wordpress.com
>>>>
>>>
>>>
>>>
>>> --
>>> Cristiano Medeiros Dalbem
>>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>
>>>
>>>
>>>
>>
>
>
> --
> Cristiano Medeiros Dalbem
> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem <http://inf.ufrgs.br/%7Ecmdalbem>
>
>
>

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Lorenzo Stello
Date:
2011-03-18 @ 02:26
Eu, semestre passado, era bixo e participei de alguns dojos. Assumo que 
desacelerei alguns problemas, mas acho que, por Dojo se entenda 
“Academia”.
Se for tomar pelo lado marcial da coisa: Num dojo de lutas não treinam só 
os mestres e os bons lutadores, e sim todos. Dos mais novatos aos mais 
experientes. E foi isso que eu acho que a resposta do Henrique Bastos quis
dizer quando ele escreve: “Use a premissa de que se o Dojo não está 
incluindo os calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de 
dinâmica ou reunião”

Eu não me arrependo de ter “atrapalhado” um pouco, se com alguma ideia 
minha eu pude ajudar, mesmo que pouco.
From: Gabriel Oliveira 
Sent: Wednesday, March 16, 2011 8:55 AM
To: dojoufrgs@librelist.com 
Subject: Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

(alguém sabe o porquê motivo de quando o dojoufrgs@librelist é o segundo 
contato da lista ele não receber o reply ??) 


Achei importante a resposta dele pois ele justifica o problema que o 
Dalbem levantou como sendo causado pelo pensamento de "terminar o 
problema".  

Bixos irão naturalmente desacelerar o problema, fazer com que não 
expliquemos o código, mas o algoritmo por trás, nos fazendo "perder 
tempo". Isso só é relevante se o foco do Dojo for terminar o problema, e 
esse foco não deveria ser de Coding Dojo algum....

Ainda, destaco a idéia dele de fazer outras iniciativas que complementem o
Dojo, enquanto o Dojo em si fica sendo uma atividade irrestrita.

-- 


Gabriel P.A. de Oliveira
Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
Skype - gabriel.pa.oliveira
Computer Science - UFRGS - Brazil


Em 15 de março de 2011 15:21, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br> escreveu:

  Não achei muito relevante a resposta dele pra nossa discussão.
  Pra mim não existe problema nenhum nos nossos Dojos, eles estavam indo 
muito bem.
  E sobre a inclusão dos calouros ele não deu nenhum argumento explicando 
porque isso seria importante... 



  2011/3/15 Gabriel Oliveira <gabriel.pa.oliveira@gmail.com>

    Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma 
discussão, que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as 
minhas sobre o assunto: 

    Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando
da mesma esperiência que vocês.


    Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está 
indicando problemas de foco.


    Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são 
sintomas de que o problema está ganhando importância que deveria ser do 
*processo de desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E até
que o grupo tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, usar
problemas reais não é recomendado.


    Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo
os calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou 
reunião.


    Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias.
Mas separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso 
criando o Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com 
dinâmicas e propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é 
importante para não propagar uma percepção equivocada do Dojo.


    Abraços,

    --
    Henrique Bastos 


    Curso Welcome to the Django
    Aprenda Python e Django na Prática!



    Twitter: @henriquebastos
    Skype: henriquebastos.net

    +55 21 9618-6180


    Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>
escreveu: 


      Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer 
fazer, outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi
gente dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma 
pessoa que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A 
pessoa não vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. 
Agora, querer explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar 
porcaria alguma, é foda!
      Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender 
a programar.

      Diga NÃO aos bixos! hehe

      Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras 
mais "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor 
Wives). 




      2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>

        tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos

        Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com> 
escreveu:

        > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo. Ele
        > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
        > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
        > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
        > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
        > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
        > ficando com preguiça :P
        >
        > Anyway, só meus 2 centavos
        >
        > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
        > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
        >> Caros,
        >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
        >>
        >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no 
Dojo", então
        >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
        >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma 
propaganda macica
        >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar 
fazendo isso e
        >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras cadeiras
        >> iniciais da trilha de Programacao.
        >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas
por um grupo
        >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo 
tradicional, por
        >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa
coesao, eu
        >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou 
ruins ? Vale a
        >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
        >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao 
naturalmente
        >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o 
algoritmo sendo
        >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que acaba
        >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram 
essa barreira do
        >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
        >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
        >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
paciencia e
        >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom 
grau de "se
        >> virol", esse problema e diminuido.
        >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
        >> --
        >>
        >> Gabriel P.A. de Oliveira
        >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
        >> Skype - gabriel.pa.oliveira
        >> Computer Science - UFRGS - Brazil
        >>
        >>
        >>
        >>
        >
        >
        >
        > --
        > http://www.twitter.com/lfzawacki
        > http://www.linesocode.wordpress.com
        >



        --
        http://www.twitter.com/lfzawacki
        http://www.linesocode.wordpress.com





      -- 
      Cristiano Medeiros Dalbem
      Ciência da Computação UFRGS 2008/01
      Bolsista do PET Computação desde 2009/01
      http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem







  -- 
  Cristiano Medeiros Dalbem
  Ciência da Computação UFRGS 2008/01
  Bolsista do PET Computação desde 2009/01
  http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem


Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Lucas Zawacki
Date:
2011-03-18 @ 02:59
é isso ai meu, tem que chamar todos e os que tem interesse sempre vem
e aproveitam

Alias galera, nao falei com os bixos por incompatibilidades de horario
e por ter vontade de chegar na aula pratica de algoritmos deles (e
talvez daqui a uma ou duas semanas). Alguem conhece essa galerinha e
pode perguntar os horarios das aulas práticas?

Em 17 de março de 2011 23:26, Lorenzo Stello <lsstello@inf.ufrgs.br> escreveu:
> Eu, semestre passado, era bixo e participei de alguns dojos. Assumo que
> desacelerei alguns problemas, mas acho que, por Dojo se entenda “Academia”.
> Se for tomar pelo lado marcial da coisa: Num dojo de lutas não treinam só os
> mestres e os bons lutadores, e sim todos. Dos mais novatos aos mais
> experientes. E foi isso que eu acho que a resposta do Henrique Bastos quis
> dizer quando ele escreve: “Use a premissa de que se o Dojo não está
> incluindo os calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de
> dinâmica ou reunião”
>
> Eu não me arrependo de ter “atrapalhado” um pouco, se com alguma ideia minha
> eu pude ajudar, mesmo que pouco.
> From: Gabriel Oliveira
> Sent: Wednesday, March 16, 2011 8:55 AM
> To: dojoufrgs@librelist.com
> Subject: Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?
>
> (alguém sabe o porquê motivo de quando o dojoufrgs@librelist é o segundo
> contato da lista ele não receber o reply ??)
> Achei importante a resposta dele pois ele justifica o problema que o Dalbem
> levantou como sendo causado pelo pensamento de "terminar o problema".
>
> Bixos irão naturalmente desacelerar o problema, fazer com que não
> expliquemos o código, mas o algoritmo por trás, nos fazendo "perder tempo".
> Isso só é relevante se o foco do Dojo for terminar o problema, e esse foco
> não deveria ser de Coding Dojo algum....
>
> Ainda, destaco a idéia dele de fazer outras iniciativas que complementem o
> Dojo, enquanto o Dojo em si fica sendo uma atividade irrestrita.
>
> --
>
> Gabriel P.A. de Oliveira
> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
> Skype - gabriel.pa.oliveira
> Computer Science - UFRGS - Brazil
> Em 15 de março de 2011 15:21, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>
> escreveu:
>>
>> Não achei muito relevante a resposta dele pra nossa discussão.
>> Pra mim não existe problema nenhum nos nossos Dojos, eles estavam indo
>> muito bem.
>> E sobre a inclusão dos calouros ele não deu nenhum argumento explicando
>> porque isso seria importante...
>>
>> 2011/3/15 Gabriel Oliveira <gabriel.pa.oliveira@gmail.com>
>>>
>>> Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma
>>> discussão, que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as
>>> minhas sobre o assunto:
>>>
>>> Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando da
>>> mesma esperiência que vocês.
>>> Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está indicando
>>> problemas de foco.
>>> Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são
>>> sintomas de que o problema está ganhando importância que deveria ser do
>>> *processo de desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E até
>>> que o grupo tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, usar
>>> problemas reais não é recomendado.
>>> Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo os
>>> calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou
>>> reunião.
>>> Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias.
>>> Mas separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso
>>> criando o Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com
>>> dinâmicas e propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é
>>> importante para não propagar uma percepção equivocada do Dojo.
>>> Abraços,
>>> --
>>> Henrique Bastos
>>> Curso Welcome to the Django
>>> Aprenda Python e Django na Prática!
>>>
>>> Twitter: @henriquebastos
>>> Skype: henriquebastos.net
>>> +55 21 9618-6180
>>> Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>
>>> escreveu:
>>>>
>>>> Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer fazer,
>>>> outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi gente
>>>> dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma pessoa
>>>> que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa não
>>>> vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, querer
>>>> explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria alguma, é
>>>> foda!
>>>> Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
>>>> programar.
>>>>
>>>> Diga NÃO aos bixos! hehe
>>>>
>>>> Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
>>>> "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor Wives).
>>>>
>>>>
>>>> 2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>>>
>>>>> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>>>>>
>>>>> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>>> escreveu:
>>>>> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo.
>>>>> > Ele
>>>>> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
>>>>> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
>>>>> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
>>>>> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
>>>>> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
>>>>> > ficando com preguiça :P
>>>>> >
>>>>> > Anyway, só meus 2 centavos
>>>>> >
>>>>> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
>>>>> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>>>>> >> Caros,
>>>>> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>>>>> >>
>>>>> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no
>>>>> >> Dojo", então
>>>>> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>>>>> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
>>>>> >> macica
>>>>> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar fazendo
>>>>> >> isso e
>>>>> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras
>>>>> >> cadeiras
>>>>> >> iniciais da trilha de Programacao.
>>>>> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por
>>>>> >> um grupo
>>>>> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo
>>>>> >> tradicional, por
>>>>> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa
>>>>> >> coesao, eu
>>>>> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ?
>>>>> >> Vale a
>>>>> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>>>>> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
>>>>> >> naturalmente
>>>>> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo
>>>>> >> sendo
>>>>> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que
>>>>> >> acaba
>>>>> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
>>>>> >> barreira do
>>>>> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>>>>> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>>>>> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
>>>>> >> paciencia e
>>>>> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau
>>>>> >> de "se
>>>>> >> virol", esse problema e diminuido.
>>>>> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>>>>> >> --
>>>>> >>
>>>>> >> Gabriel P.A. de Oliveira
>>>>> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>>>>> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
>>>>> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >
>>>>> >
>>>>> >
>>>>> > --
>>>>> > http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>>> > http://www.linesocode.wordpress.com
>>>>> >
>>>>>
>>>>>
>>>>>
>>>>> --
>>>>> http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>>> http://www.linesocode.wordpress.com
>>>>
>>>>
>>>>
>>>> --
>>>> Cristiano Medeiros Dalbem
>>>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>>>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>>>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem
>>>>
>>>>
>>>
>>
>>
>> --
>> Cristiano Medeiros Dalbem
>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem
>>
>>
>



-- 
http://www.twitter.com/lfzawacki
http://www.linesocode.wordpress.com

Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

From:
Lorenzo Stello
Date:
2011-03-18 @ 17:38
As aulas deles são:
quinta da 13:30 as 17:10(acho que aqui são os CiCs)
sexta da 13:30 as 17:10(logo, aqui devem ser os ECps)

Se não me engano, mas é quase certo. Um colega meu rodou em algoritmos e tá 
na quinta de tarde e os meus bixos tão na sexta de tarde. Então, como os 
laboratórios sempre são divididos em 2 horários, acho que esses são eles.

-----Original Message----- 
From: Lucas Zawacki
Sent: Thursday, March 17, 2011 11:59 PM
To: dojoufrgs@librelist.com
Subject: Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?

é isso ai meu, tem que chamar todos e os que tem interesse sempre vem
e aproveitam

Alias galera, nao falei com os bixos por incompatibilidades de horario
e por ter vontade de chegar na aula pratica de algoritmos deles (e
talvez daqui a uma ou duas semanas). Alguem conhece essa galerinha e
pode perguntar os horarios das aulas práticas?

Em 17 de março de 2011 23:26, Lorenzo Stello <lsstello@inf.ufrgs.br> 
escreveu:
> Eu, semestre passado, era bixo e participei de alguns dojos. Assumo que
> desacelerei alguns problemas, mas acho que, por Dojo se entenda “Academia”.
> Se for tomar pelo lado marcial da coisa: Num dojo de lutas não treinam só 
> os
> mestres e os bons lutadores, e sim todos. Dos mais novatos aos mais
> experientes. E foi isso que eu acho que a resposta do Henrique Bastos quis
> dizer quando ele escreve: “Use a premissa de que se o Dojo não está
> incluindo os calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de
> dinâmica ou reunião”
>
> Eu não me arrependo de ter “atrapalhado” um pouco, se com alguma ideia 
> minha
> eu pude ajudar, mesmo que pouco.
> From: Gabriel Oliveira
> Sent: Wednesday, March 16, 2011 8:55 AM
> To: dojoufrgs@librelist.com
> Subject: Re: [dojoufrgs] Bixos no Dojo: Bom ou Ruim ?
>
> (alguém sabe o porquê motivo de quando o dojoufrgs@librelist é o segundo
> contato da lista ele não receber o reply ??)
> Achei importante a resposta dele pois ele justifica o problema que o 
> Dalbem
> levantou como sendo causado pelo pensamento de "terminar o problema".
>
> Bixos irão naturalmente desacelerar o problema, fazer com que não
> expliquemos o código, mas o algoritmo por trás, nos fazendo "perder 
> tempo".
> Isso só é relevante se o foco do Dojo for terminar o problema, e esse foco
> não deveria ser de Coding Dojo algum....
>
> Ainda, destaco a idéia dele de fazer outras iniciativas que complementem o
> Dojo, enquanto o Dojo em si fica sendo uma atividade irrestrita.
>
> --
>
> Gabriel P.A. de Oliveira
> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
> Skype - gabriel.pa.oliveira
> Computer Science - UFRGS - Brazil
> Em 15 de março de 2011 15:21, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>
> escreveu:
>>
>> Não achei muito relevante a resposta dele pra nossa discussão.
>> Pra mim não existe problema nenhum nos nossos Dojos, eles estavam indo
>> muito bem.
>> E sobre a inclusão dos calouros ele não deu nenhum argumento explicando
>> porque isso seria importante...
>>
>> 2011/3/15 Gabriel Oliveira <gabriel.pa.oliveira@gmail.com>
>>>
>>> Encaminho na íntegra uma resposta do Henrique Bastos a essa mesma
>>> discussão, que ele deu na lista do dojo-rio. Faço das palavras dele as
>>> minhas sobre o assunto:
>>>
>>> Minha visão certamente está limitada, pois eu não estou compartilhando 
>>> da
>>> mesma esperiência que vocês.
>>> Entretanto, me parece que o Dojo que vocês estão fazendo está indicando
>>> problemas de foco.
>>> Essas preocupações com desaceleração do dojo, com fluxo, etc, são
>>> sintomas de que o problema está ganhando importância que deveria ser do
>>> *processo de desenvolvimento*. Terminar o problema não é importante. E 
>>> até
>>> que o grupo tenha conseguido absorver o novo paradigma/modelo mental, 
>>> usar
>>> problemas reais não é recomendado.
>>> Inclua os calouros! Use a premissa de que se o Dojo não está incluindo 
>>> os
>>> calouros, não está sendo feito Dojo, mas um outro tipo de dinâmica ou
>>> reunião.
>>> Vocês até podem sim fazer tantas dinâmicas quanto acharem necessárias.
>>> Mas separem elas. Definam nomes específicos. Aqui no Rio fizemos isso
>>> criando o Dojorio, Forkinrio, StepInside, Openspaces. São eventos com
>>> dinâmicas e propósitos próprios, mas que se complementam. Separar é
>>> importante para não propagar uma percepção equivocada do Dojo.
>>> Abraços,
>>> --
>>> Henrique Bastos
>>> Curso Welcome to the Django
>>> Aprenda Python e Django na Prática!
>>>
>>> Twitter: @henriquebastos
>>> Skype: henriquebastos.net
>>> +55 21 9618-6180
>>> Em 15 de março de 2011 11:54, Cristiano Dalbem <cmdalbem@inf.ufrgs.br>
>>> escreveu:
>>>>
>>>> Discordo do Fialho. Uma coisa é tu explicar o que teu código quer 
>>>> fazer,
>>>> outra coisa é explicar o que é um classe de C++, por exemplo. Já vi 
>>>> gente
>>>> dando aula-a-jato disso várias vezes durante o Dojo, e se é pra uma 
>>>> pessoa
>>>> que tem bons conhecimentos de C não tem problema fazer isso. A pessoa 
>>>> não
>>>> vai sair programando OO, mas vai ter noção do que tá rolando. Agora, 
>>>> querer
>>>> explicar esse tipo de coisa pra quem mal sabe programar porcaria 
>>>> alguma, é
>>>> foda!
>>>> Pra mim Dojo é sobre aprender a programar BEM, e não sobre aprender a
>>>> programar.
>>>>
>>>> Diga NÃO aos bixos! hehe
>>>>
>>>> Concordo que podia ser feita mais propaganda dos Dojos em cadeiras mais
>>>> "avançadas", como ED, CPD, TCP, MLP (cadeira que dava o professor 
>>>> Wives).
>>>>
>>>>
>>>> 2011/3/11 Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>>>
>>>>> tem um typo monstro no meu post... é objetivos e não objetos
>>>>>
>>>>> Em 11 de março de 2011 11:19, Lucas Zawacki <lfzawacki@gmail.com>
>>>>> escreveu:
>>>>> > Não concordo que os bixos vão atravancar o prosseguimento do dojo.
>>>>> > Ele
>>>>> > de fato são mais verdes, mas sempre tem um cara no dojo que não sabe
>>>>> > nada (da linguagem) e fica travado. Acredito que as coisas podem dar
>>>>> > bastante certo se a gente for mais metódico no dojo, tentar fazer as
>>>>> > coisas direitinho, explicar pra eles os objetos, explicar o que está
>>>>> > fazendo a cada linha... coisas que a gente devia fazer, mas acaba
>>>>> > ficando com preguiça :P
>>>>> >
>>>>> > Anyway, só meus 2 centavos
>>>>> >
>>>>> > Em 11 de março de 2011 08:08, Gabriel Oliveira
>>>>> > <gabriel.pa.oliveira@gmail.com> escreveu:
>>>>> >> Caros,
>>>>> >> (perdoem a falta de acentos e cedilha...)
>>>>> >>
>>>>> >> tive uma boa discussão ontem a noite sobre o assunto "Bixos no
>>>>> >> Dojo", então
>>>>> >> decidi abrir aqui na lista para uma discussão mais ampla.
>>>>> >> No ultimo semestre, e no inicio desse, estou fazendo uma propaganda
>>>>> >> macica
>>>>> >> para puxar os Bixos pro Dojo. Pessoalmente, queria continuar 
>>>>> >> fazendo
>>>>> >> isso e
>>>>> >> ainda expandir a propaganda para Estruturas de Dados e outras
>>>>> >> cadeiras
>>>>> >> iniciais da trilha de Programacao.
>>>>> >> Porem, acho importante as iniciativas desse porte serem tomadas por
>>>>> >> um grupo
>>>>> >> (no sentido coletivo, nao sendo restrito ao PET, um grupo
>>>>> >> tradicional, por
>>>>> >> exemplo), o grupo da galera do Dojo da UFRGS. Pra alcancar essa
>>>>> >> coesao, eu
>>>>> >> abro aqui pra lista a discussao: Bixos no Dojo, sao bons ou ruins ?
>>>>> >> Vale a
>>>>> >> pena continuar chamando os bixos, indo em aulas palestrar e etc ?
>>>>> >> Ontem ouvi bons argumentos contra essa iniciativa. Bixos sao
>>>>> >> naturalmente
>>>>> >> mais verdes, tem dificuldade com a linguagem e nao com o algoritmo
>>>>> >> sendo
>>>>> >> desenvolvido nem com as praticas de Pair Programming e TDD, o que
>>>>> >> acaba
>>>>> >> desacelerando o Dojo. O Dojo, tendo pessoas que ja venceram essa
>>>>> >> barreira do
>>>>> >> pensamento algoritmico, rende melhores discussoes sobre praticas de
>>>>> >> programacao, estilos, comparacoes entre linguagens, etc.
>>>>> >> Pessoalmente, acho que se os "veteranos" tiverem uma posicao de
>>>>> >> paciencia e
>>>>> >> bom senso, apoiados por bixos interessados e espertos, com bom grau
>>>>> >> de "se
>>>>> >> virol", esse problema e diminuido.
>>>>> >> Opinem pessoas !! Bora bora bora !!!
>>>>> >> --
>>>>> >>
>>>>> >> Gabriel P.A. de Oliveira
>>>>> >> Linkedin - www.linkedin.com/in/gabrielPAoliveira
>>>>> >> Skype - gabriel.pa.oliveira
>>>>> >> Computer Science - UFRGS - Brazil
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >>
>>>>> >
>>>>> >
>>>>> >
>>>>> > --
>>>>> > http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>>> > http://www.linesocode.wordpress.com
>>>>> >
>>>>>
>>>>>
>>>>>
>>>>> --
>>>>> http://www.twitter.com/lfzawacki
>>>>> http://www.linesocode.wordpress.com
>>>>
>>>>
>>>>
>>>> --
>>>> Cristiano Medeiros Dalbem
>>>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>>>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>>>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem
>>>>
>>>>
>>>
>>
>>
>> --
>> Cristiano Medeiros Dalbem
>> Ciência da Computação UFRGS 2008/01
>> Bolsista do PET Computação desde 2009/01
>> http://www.inf.ufrgs.br/~cmdalbem
>>
>>
>



-- 
http://www.twitter.com/lfzawacki
http://www.linesocode.wordpress.com